29 de setembro de 2010

Eletrônica Sustentável

Por Adrian Rupp

Para utilizarmos uma tecnologia criada numa sociedade consumista numa comunidade auto-sustentável precisamos adaptá-la. A eletrônica foi desenvolvida dentro da idéia de que é normal as coisas virarem lixo com o tempo e normal utilizar produtos químicos perigosos ao meio ambiente.

Pretendo apresentar neste texto uma outra forma de usar a eletrônica. Uma forma mais sustentável e livre. Pois o sistema "compra -> uso -> descarte" nos mantem numa eterna dependência e numa eterna produção de lixo. Eu proponho alternativamente o sistema "compra/extração -> uso, reuso,... -> novo uso".


Considerações Iniciais

Em primeiro lugar, cada comunidade conscientemente decide se irá ou não desenvolver a eletrônica. Optar por este desenvolvimento representa um conjunto próprio de vantagens e desvantagens. De modo mais preciso, pode-se decidir por aplicar a eletrônica apenas em casos específicos. Vale lembrar que durante milênios todas as comunidades humanas sobreviveram sem desenvolver a eletrônica. Portanto esse desenvolvimento é dispensável. Provalmente seja indispensável para o desenvolvimento de colonias humanas extraterrestres. Desafio os leitores do blog a me citarem uma solução que depende da eletronica e não pode ser resolvida de outro modo.


Como tornar mais sustentável o uso da eletrônica

- Produza a eletricidade na comunidade.

Use fontes sustentáveis como biomassa, ventos, Sol, rios usando mini-hidrelétricas. Não produzir a própria eletricidade é uma falha bem séria de auto-sustentabilidade, visto que ela é consumível.

- Manter a documentação mais utilizada em versão impressa.

O armazenamento digital permite que um grande volume de informações num pequeno espaço de tempo. Porém, exige energia elétrica em cada consulta e equipamentos sofisticados para a armazenagem. Sendo assim, manter a documentação em versão impressa é mais sustentável.

- Montagem:

A técnica de montagem faz toda a diferença para termos uma eletrônica mais sustentável. Sugiro abandonar na medida do possível as montagens em placas de circuito impresso. E abandonar as montagens tipo besouro morto. Alternativamente preferir montar com matrizes de contatos (protoboards).

Protoboards podem ser reaproveitadas centenas de vezes, dispensam gastos de estanho, eletricidade, uso de produtos nocivos usados na confecção das placas, evitam o superaquecimento dos componentes e permitem a rápida substituição de componentes.

- Construir protoboards de diferentes tamanhos.

Matrizes de contatos podem ser muito caras e as vezes é difícil encontar em tamanho reduzido.

Instruções de como construir uma protoboard:
http://translate.google.com.br/translate?js=n&prev=_t&hl=pt-BR&ie=UTF-8&layout=2&eotf=1&sl=en&tl=pt&u=http%3A%2F%2Fwww.instructables.com%2Fid%2FLarge-Bread-Board-from-IDE-Cables-breadboard-on-t%2F&act=url
e
http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&tl=pt&u=http%3A%2F%2Fwww.instructables.com%2Fid%2FHomemade-Breadboard%2F
e
http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&tl=pt&u=http%3A%2F%2Fwww.instructables.com%2Fid%2FBread-Board-from-IDE-Cables%2F
e
http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&tl=pt&u=http%3A%2F%2Fwww.instructables.com%2Fid%2FMake-a-Mini-Prototyping-Breadboard%2F



Eu cheguei a tentar montar uma mini protoboard seguindo as instruções acima. Porém achei a soldagem extremamente difícil. Optei por um método mais sustentável: Aproveitar os próprios cabos flat para fazer os contatos. Deste modo a montagem da protoboard dispensou qualquer soldagem. A arquitetura da protoboard foi alterada de modo que os pontos estão intercalados nas colunas. Apesar de eu não ter deixado um espaço para um circuito integrado isso pode ser feito. É preciso apenas deixar um vão entre os conectores que seja grande o bastante para produzir uma pressão já que os pinos são muitos finos para serem o bastante para manter o circuito integrado preso na matriz.



Componentes

Sugiro manter um estoque de componentes. Parte deles terá que ser comprada. Outra parte pode ser retirada de placas impressas defeituosas. Usando um sugador de solda e ferro de solda é possível retirar componentes de placas para reutilizá-los. Porém certifique-se primeiro de que tal circuito impresso está realmente inutilizado. Após teste o componente para saber se ele ainda está funcionando. A comunidade deve buscar ter mais componentes do que precisa para estar livre das oscilações do mercado. Falta do produto, retirada do mercado, proibição da venda, aumento no preço, são fenômenos que ocorrem freqüentemente. Somados aos eventos extraordinários, imaginar uma pronta disponibilidade no mercado é ignorar a instabilidade do mesmo.

Atenção a orientações de conservação e armazenagem. Manter os contatos dos componentes limpos da oxidação do ar. Usar uma faca ou estilete para fazer a limpeza. Vários componentes são sensíveis a altas temperturas, especialmente circuitos integrados. Muito cuidado ao soldar ou desoldar os componentes para não sobreaquece-lôs.

Conhecer a associação de componentes. Tendo dominio deste conhecimento pode-se utilizar combinações de componentes para fazer substituições. Por exemplo, podemos utilizar dois resistores no lugar de um resistor que não possuímos.


Multimetro

Atenção a orientações de conservação e armazenagem. Cuidar para usar as escalas apropriadas. Verificar a polaridade (vermelho (+) e preto (-)). Mantenha o medidor afastado de campos eletromagnéticos fortes.


Orientações sobre a oficina de eletrônica


- Ninguém deve trabalhar sozinho na oficina pois acidentes podem ocorrer e assim se faz necessário alguém para socorrer.

Para uma gestão sustentável dos conhecimentos sobre eletrônica o acesso a este conhecimento deve ser livre a todos membros da comunidade. Deste modo é uma falha de sustentabilidade comunitária trabalhar sozinho.

- Estar descansado quando for trabalhar com equipamentos elétricos.

- Manter a pele e a sola dos sapatos secas.

- Usar equipamentos de proteção individual (EPI) quando necessário.

- Não abandonar equipamentos elétricos ligados. Manter supervisão sobre eles.

- A oficina deve estar livre de excesso de umidade. Os equipamentos e componentes devem ser protegidos da poeira e umidade.

- Manter a oficina organizada. A organização facilita o acesso aos materiais, poupando tempo para encontrá-los e ajuda a evitar acidentes.


Considerações finais

Meus conhecimentos sobre eletrônica são superficiais e por isso alguém com conhecimentos profundos poderia trazer alternativas que eu não visualizei. Bastaria para tanto que olhasse para esse conhecimentos com olhos críticos, avaliando o que cada escolha representa em termos de auto-sustentabilidade. Sempre existe uma forma de fazer as coisas que é mais sustentável e outra que não é possível de ser mantida ao longo do tempo.

Os meios mais sustentáveis não exigem compras constantes de mais materiais, pois este acumulo acaba por tornar tudo descartável. Se estamos comprando algo que vai se tornar lixo, o que estamos comprando é de fato lixo. Muitas pessoas reclamam da falta de dinheiro, porém, não se dão conta de que aplicam seu dinheiro em lixo e só poderiam ter este resultado.

O que define se algo é lixo ou não é a sua descartabilidade. Quanto mais descartável, menos tem potencial como algo útil. Portanto prefira sempre comprar materiais que duram décadas. Descubra as alternativas que utilizam materiais de alta durabilidade e descarte os métodos que geram mais lixo.

Domine as técnicas de armazenagem e utilização. O retorno econômico de todo o investimento em materiais depende disso também. E quando falo em retorno econômico isso não se restringe ao retorno monetário.

Uma placa de circuito impresso estragada a princípio é lixo. Agora se dessoldamos os componentes e reutilizamos, se transformamos a placa numa capa de caderno, já não temos mais lixo. Mesmo uma placa de circuito impresso tendo muito mais vocação para lixo do que uma protoboard, mesmo assim podemos mudar nosso olhar e transformar lixo em algo útil.

Os componentes eletrônicos poderiam todos ter sistemas de engates em vez de usar soldas. Mas isso não seria interessante para as indústrias que tiram proveito da descartabilidade. Portanto os meios mais sustentáveis não possuem muita divulgação.

Por causa desta realidade é que se faz necessário a busca por alternativas. E diante daqueles que as encontram, está um mundo novo e muito mais livre.


- Veja também:
Informática Sustentável
Videos Energia Eolica

2 comentários:

  1. oi!

    lembrei de ti ao entrar nesta comunidade:

    http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=27888506

    acredito que tu vai te identificar.
    um beijo
    lisi

    ResponderExcluir
  2. Oi Adrian, muito interessante esta tua abordagem de eletrônica sustentável. Gostaria de acompanhar de perto tuas experiências e propostas, aqui e no Facebook. Lidei com eletrônica quando era adolescente, e tenho vontade de voltar a lidar com ela.
    Vi pelo comentário da Mírian Cristina Chaves, no FB, que vc é gaúcho. Apesar de morar no PR, costumo ir com frequência pro RS, já que minha mulher é gaúcha. De que cidade vc é?
    um grande abraço

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...