27 de novembro de 2012

Picão Branco

Por Adrian Rupp


Galinsoga quadriradiata
Galinsoga parviflora



















Nomes populares:
picão-branco, botão-de-ouro, fazendeiro, brinco-de-princesa[1], erva-da-moda[1], picão-bravo[1], galinsoga de flores pequeñas (Espanhol)[1], soldado galante (Espanhol)[1],
Inglês: quickweed, gallant soldier, smallflower galinsoga, soldiers of the queen, galinsoga, guasca[1]
Colômbia: Guascas, em Cundinamarca e Boyacá. Pajarito, em Sogamoso e oriente de Boyacá.[2]
Argentina: Albahaca silvestre, saetilla.[2]
Peru e Chile: Pacoyuyu fino.[2]
México: Estrellita, mercurial.[2]
Zulu: ushukeyana[1]
galinsoga comune (Italiano); klein knopkruid Holandes)[1]
Franzosenkraut, kleinblütiges Knopfkraut , Unkraut(Alemão)
haret korststrale (Dinamarques) galinsoga glabre (Francês)[1]
galinsoga (Tagalogue - Filipinas)[1]
mamboleo (Tanzania)[1]
nwakhosa, sekogelamaroka (África do Sul)[1]

Nomes científicos:[2]
Galinsoga parviflora Cav.
Wiborgia parviflora (Cav.) Kunth
Stemmatella sodiroi Hieron.
Adventina parviflora Raf.
Galinsoga semicalva (Gray) H.St.John & White
Galisonga quinqueradiata Ruiz & Pav.
Tridax parviflora

Espécie de uso semelhante:[1]
Galinsoga quadriradiata Ruiz & Pav.

Germinação: Suas sementes germinam do outono à primavera.[3]
Ciclo: Apresenta ciclo curto de até 50 dias.[3]

Onde ocorre: Considerada planta invasora de solos cultivados, presente em todas as culturas anuais e perenes, além de pastagens e jardins.[3] Considerada planta indicadora de terras cultivadas com nitrogênio suficiente e falta de cobre.[5]

Presente no clima tropical e subtropical.[1]

composição centesimal:
(base úmida – g/100g): umidade (89); proteínas (4); lipídios (0,5); carboidratos (5,29); cinzas (1,74); fibra (1,24);
E mineral (base seca – mg/100g): Ca (162); P(38); Fe (270); Mg (681); Mn (44); Na (36); Cu (3); Zn (14); energia (41 kcal/100g)[1]
Destaque para a quantidade de zinco, proteína e magnésio.[1]

composição nutricional:
vitamina C (54 mg/100g); proteína (5,0%); fibra crua (1,5%); lipídios (0,7%);
Ca (154 mg/100g); Fe (2,8 mg/100g).[1]

Atividade antioxidante: 76% (base úmida)[1]


Uso Alimentar[1]

Extremamente interessante por ser uma planta que não exige técnicas agrículas. Ela aparece naturalmente.

Possui folhas e ramos jovens tenros, com aroma agradável. A parte aérea jovem (folhas, ramos e flores) pode ser consumida em saladas cruas ou cozidas. Também podem ser consumidas cozidas em sopas, misturadas a farofas ou utilizadas no preparo de bolinhos fritos (tempurah) e em sucos verdes com limão ou outras frutas ácidas.[1]

Na Colômbia seu uso como alimentícia é antiguíssimo, talvez de origem indígena. É um ingrediente clássico da sopa bogotana (de Bogotá, Colômbia) chamada “ajiaco”. Neste país é comercializada em jarros (para não murchar!), desidratada ou moída e transformadas em pó verde. Este pó é utilizado como condimento para sopas e carnes, especialmente carne de frango. O suco fresco (suco verde) pode ser tomado juntamente com suco de tomate ou outros sucos.[1]

As folhas cozidas desta espécie são consumidas na região sudoeste da China (Xishuangbanna), obtidas por extrativismo, durante os 12 meses do ano.[1]


Uso Medicinal

Digestivo muito usada em dores de estômago, males do fígado, icterícia e outras infecções do aparelho disgestivo.[6]

O chá de suas folhas, tanto na forma de decocto ou infusão, é usado para o tratamento caseiro de doenças broncopulmonares.[7]

Externamente, suas folhas aquecidas são aplicadas diretamente sobre a área afetada na forma de compressas e cataplasma nos casos de contusão e feridas.[7]


Fontes:
[1]
Plantas alimentícias não-convencionais da região metropolitana de Porto Alegre, RS
http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12870

[2]
Wikipédia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Galinsoga_parviflora

[3]
Agrolink
http://www.agrolink.com.br/agricultura/problemas/busca/picao-branco_16.html

[4]
PlantaMed
http://www.plantamed.com.br/plantaservas/especies/Galinsoga_parviflora.htm

[5]
Wikipédia: Planta indicadora
http://pt.wikipedia.org/wiki/Planta_indicadora

[6]
Fitoterapia para todos
http://www.ahau.org/indicfitoterapia-0-html

[7]
Plantas Medicinais no Brasil - Nativas e Exóticas
Harri Lorenzi, F.J. Abreu Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...