30 de março de 2015

Hospedando Sites em Redes Livres


Por Adrian Rupp



Introdução

Redes livres são redes de computadores que são administradas pelos próprios usuários. Elas são uma alternativa a Internet, embora em alguns casos estejam ligadas a ela. Elas são um esforço para termos uma rede com mais poder e controle descentralizado, e menos censura. Para saber mais: www.redeslivres.org.br

Divido as aplicações das redes livres em dois grupos: interativo e lote. Aplicações interativas são as que exigem a presença de pessoas em cada ponta da comunicação para funcionar, como por exemplo: bate-papo, troca de arquivos, jogos eletrônicos. Aplicações em lote são as que funcionam automaticamente, basta ativar para que a função fique disponível para quando alguém quiser utilizar, como por exemplo: câmeras de vigilância, transmissão de audio ou vídeo, ou mesmo um site.

Neste artigo vou apresentar algumas ideias para hospedar sites em redes livres. Com esse recurso você pode compartilhar textos, imagens, vídeos, etc. de modo fácil e gratuito, mesmo onde não há redes de celular ou Internet. Pode também facilitar o acesso de conteúdos de um dispositivo para outros, como acessar vídeos que estão num disco rígido através de um celular por exemplo.

O Que é Preciso?

Lista do que é necessário para hospedar um site numa rede livre:

Item 1. Dispositivo capaz de criar redes wi-fi ou com placa de rede para redes cabeadas, ou PC com placa de wi-fi. Ou seja, qualquer smartfone com Android e wi-fi, qualquer notebook com wi-fi e qualquer PC com wi-fi ou entrada para cabo de rede. Também é possível com Pocket PC com wi-fi e Windows Mobile. O alcance está diretamente ligado ao hardware. É possível fazer antenas externas de wi-fi em casa para ampliar o alcance e usar refletores de sinal caseiros para garantir que o sinal seja melhor numa direção do que em outra. Veja mais em: cienciacompartilhada.blogspot.com.br/2013/04/antena-wireless-caseira.html

Item 2. Um programa de web servidor, disponível para Windows, Android, Linux, Windows Mobile e outros sistemas operacionais.

Item 3. Um site para hospedar.

Como conseguir cada item?

Item 1. Graças a desvalorização dos PCs, um computador adequado para esse função pode ser encontrado de graça. Se ele não tiver wi-fi, um adaptador wi-fi pode ser encontrado por menos de R$ 50. Muitas pessoas tem smartfones com Android e wi-fi que também podem ser usados.

Item 2. Um programa de web servidor pode ser baixado gratuitamente da Internet. É uma coisa legal de você também oferecer no seu site e ajudar a reduzir a dependência da Internet. No Linux existe o famoso Apache2 (httpd.apache.org) , que pode ser encontrado no repositório da maioria das distribuições. No Android uso o Palapa Web Server (alfanla.com/palapa-web-server). No Windows Mobile há o MobileWebServer (http://www.sphinx-soft.com/MWS/order.html).

Item 3. Você pode criar um site novo usando o LibreOffice ou outro editor. Alternativamente (ou complementarmente) pode baixar um ou mais sites da Internet e oferecer na sua rede com o programa HTTrack Website Copier (https://www.httrack.com/page/2/en/index.html). Além disso, muitos web servidores listam os arquivos o que permite disponibilizar conteúdos sem precisar criar páginas para navegar. É mais rápido, mas o visual fica mais pobre.


Criando o Site

Os sites normalmente devem estar no formato .html. Existem vários programas que permitem editar esse tipo de arquivo.

Tive problemas no LibreOffice 4.2.7.2 então sugiro salvar no formato .odt e só por fim salvar em .html, pois o Libreoffice está com problemas em abrir arquivos .html que ele mesmo criou. Cuide também para ter sempre cópias de segurança para não perder seu trabalho acidentalmente.

Sugiro usar um layout parecido com a timeline do Facebook. Muitas pessoas, principalmente jovens, tem sua experiência de sites bem limitada ao Facebook e fica mais atraente a interface quando ela lembra algo familiar. É interessante observar a evolução do visual de sites, de palavras sublinhadas que levavam para outros tópicos, com presença mínima de imagens, a sites ricamente ilustrados, criados por artistas gráficos. Os primeiros sites, das palavrinhas sublinhadas, não eram deste modo apenas por serem feitos por técnicos de redes, mas também para facilitar o acesso as páginas em conexões de baixa velocidade.

Normalmente a pagina inicial se chama index.html

Conteúdo
Você precisa se perguntar:
- Quem irá acessar o site?
- Que conteúdo é importante disponibilizar?

Creio que o interessante é combinar os tipos de conteúdos e colocar um pouco de cada:
- O que é importante disponibilizar
- O que você quer disponibilizar
- O que dá audiência

Tamanho dos arquivos
O tamanho do site depende da memória do dispositivo. Recomendo usar a estratégia de racionamento x/20, onde o espaço total disponível é dividido por 20 e assim definimos o tamanho máximo de cada arquivo. Por exemplo, para um disco rígido de 500Gb temos um tamanho máximo de arquivo de 25Gb. Isso é especialmente recomendado para casos onde se tem pouca memória e queremos garantir que o dispositivo tenha espaço disponível para outras aplicações, como num smartfone. É bom lembrar que arquivos menores são transmitidos mais rapidamente pela rede.

Juntando Tudo e Fazendo Funcionar

Passo a passo então:
1. Instale o web servidor: Baixe o webservidor adequado para seus sistema e instale ele.

2. Copie seu site para a pasta correta
Seja lá qual for o web servidor e sistema operacional há uma pasta onde você deve colocar o seu site para que fique disponível na rede. Normalmente os web servidores são ativados automaticamente quando são instalados. A página inicial normalmente deve se chamar index.html.
Android: No caso do Palapa Web Server a pasta é /sdcard/pws/www
Linux: No caso do Apache2 a pasta é /var/www/html . Cuidado com as permissões, para garantir que qualquer um possa ver os arquivos.

3. Teste o funcionamento
O primeiro teste é abrir o navegador e digitar no campo de endereço 'localhost'. Se a sua página apareceu, seu site está funcionando e seu web servidor também.
O segundo teste é digitar no campo de endereço do navegador seu  ip, algo tipo '10.42.0.1'. Em alguns casos também é preciso indicar a porta que normalmente é 8080 (ou 80), ficando assim '10.42.0.1:8080'. Se aparecer sua página isso significa que seu site está pronto para ser acessado por outros dispositivos conectados na rede.
O terceiro teste é conectar um dispositivo (PC, smartfone, notebook, etc.) na rede, seja por cabo ou wi-fi, abrir o navegador do dispositivo e digitar no campo endereço o ip do dispositivo onde está o site. Se sua página aparece no outro dispositivo conectado isso é a prova definitiva que seu site está pronto para ser acessado por outros dispositivos.

Como os outros podem acessar seu site?

Dois modos principais:
1. Você divulgando sua rede e/ou seu site e endereço de ip onde está o site. E a forma mais comum de alguém entrar no seu site.

2. A pessoa fazendo uma varredura por portas abertas nos dispositivos conectados na rede. No Linux um programa que recomendo que faz isso é o 'Zenmap'. É a forma mais incomum de alguém acessar seu site já que poucos fazem esse tipo de varredura. Mas isso é interessante caso um site de algum amigo mude de ip e você queira encontrar rapidamente. Você também pode usá-lo para saber quantos dispositivos estão conectados na rede no momento. No Android existe o Net Scan (https://play.google.com/store/apps/details?id=com.wwnd.netmapper) e o Fing (http://www.apk4fun.com/apk/1070/), entre outros.

Concluindo

Hospedar sites em redes locais ou redes livres é um recurso pouco conhecido e pouco utilizado mas que pode ser útil em diferentes momentos, como por exemplo se você quer compartilhar um conteúdo com várias pessoas ao mesmo tempo e elas estão próximas a você. Também permite que o conteúdo fique acessível sem depender da Internet e sem custos financeiros.

Espero que possam usam esse recurso e facilitar o acesso a informação e ao lazer para além da Internet e sua vigilância e censura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...